sono canino

Importância do Sono Canino

Sono canino: Dentro das Academias e Escolas que estudam o comportamento canino, sempre me deparei com a seguinte questão: Por que geralmente os pesquisadores, adestradores e comportamentalistas tratam o comportamento e suas derivações isoladamente da origem do modo de agir?

Essa questão sempre me levou a buscar novos conhecimentos relacionados à fisiologia, aos estados emocionais e ao próprio comportamento.


Partindo desta minha visão, o sono tem características visíveis e mensuráveis, e tem um impacto muito grande nos comportamentos, na aprendizagem e no manejo proposto com o cão.


O sono é o período de repouso para o corpo e para a mente, que tem como objetivo o revigoramento do organismo. No sono ocorre a pausa das atividades de percepção, sensoriais e de condutas voluntárias. Segundo BEAVER (2001) um cão de estimação normal passa:

  • 44-48% de seu tempo acordado
  • 19-21% adormecido
  • 22-23% em sono de onda lenta
  • 10-12% em sono REM (fase do sono na qual ocorrem os sonhos mais vívidos)

Cães adultos podem ter seu sono variado devido à influência de luz no ambiente, habituação com o local de repouso e devido às atividades aos arredores. Por conta destes fatores, há uma certa importância na escolha do local destinado ao animal dormir, bem como na estruturação da rotina, pois isso impactará diretamente na relação sono-vigília. Cães têm um sono fatiado, ou seja, dormem muitas vezes durante o dia.

sono REM

O sono traz um impacto sobre os sistemas regulatórios imunológicos, neurológicos e até endócrinos. Pesquisadores sugerem que a hipocretina (um neurotransmissor peptídeo) tem papel fundamental na regulação da excitação, da vigília e do apetite, podendo ter vital importância em vários sistemas reguladores diferentes como o cardiovascular, homeostase energética e regulação do consumo alimentar.

A ausência de hipocretina pode estar relacionada a distúrbios do sono como a Narcolepsia, que é entrada em estado de sono em plena vigília e apresentar perda do tônus muscular. Raças como Dobermann, Labrador, Poodle, Beagle e Dachshund podem apresentar este quadro.


Deve-se lembrar também da posição que o cão adota para ter um sono profundo que é de decúbito lateral, ou seja, tocando com o lado do corpo todo o piso. Cães de porte grande ou gigante podem vir a ter problemas justamente pela oferta de um ambiente não adaptado a esta característica.


Posição de sono profundo: tocando com o lado do corpo todo o piso

Posição de sono profundo: tocando com o lado do corpo todo o piso

 

Portanto, a observação dos padrões de sono do cão, a oferta de um bom local, adequado com as características físicas e o estabelecimento de uma rotina terão impactos, não somente sobre o bem-estar do indivíduo, mas também sobre sua capacidade de aprendizagem e cognitiva.

Fontes:
O sono dos cães e seus distúrbios, por Ceres Faraco
Comportamento Canino, Um guia para Veterinários. Bonnie Beaver, 2001.

Escreva Seu Comentário Abaixo